Spotlight: e a importância do jornalismo
Filmes,  Livros

Spotlight: e a importância do jornalismo

Nesse post falaremos sobre um dos filmes mais incríveis do cinema.

Spotilight: e a importância do jornalismo, a sua complexidade e a atuação incrível do elenco.

Em contraste, também citaremos o livro, que nos relata todo o processo de investigação, e a importância que a equipe jornalística Spotlight teve em todo esse contexto.

O filme:

Esse filme é estarrecedor, entretanto, necessário. A narrativa vai nos apresentar à equipe investigativa do jornal Boston Globe, e como eles foram inseridos em um dos casos de maior escândalo da igreja católica, em outras palavras, o grande acobertamento de abusadores.

Equipe jornalística composta por:

O novo diretor:

Marty Baron (Liev Schreiber) chega no Boston Globe como uma cabeça aberta, assim, ele opta por investigar uma pequena coluna onde um advogado, Mitchell Garabedian (Stanley Tucci) alega que o arcebispo local, Cardeal Law (Len Cariou), sabia dos abusos cometidos por um padre (entre tantos outros), e que vem trocando de paróquia a paróquia, sem ser afastado devidamente.

Ao optar por solicitar a quebra de sigilo dos documentos correspondentes aos processos contra o Padre Geoghan, como resultado, inicia-se um confronto com a instituição católica, maior responsável pela falta de responsabilidade com a reabilitação e o afastamento desses padres, no entanto.

Crendo ser apenas alguns casos isolados, consequentemente, durante o processo investigativo, a equipe se depara com 90 padres pedófilos, só em Boston (outras localidades identificadas pela equipe jornalística se encontre aqui, incluindo o Brasil).

Intensificando as pesquisas e pressionando fontes que se tornariam importantíssimas, a equipe se vê angustiada e pressionada pelo fator descrição do caso. Como resultado, descobrindo como uma cidade inteira e pessoas com enorme poder nas mãos, negligenciaram tantas vidas.

Acompanhando o desenrolar da narrativa, entretanto, descobrimos que essas famílias recebem em torno do valor de R$20 mil de indenização, o caso é arquivado, se torna sigiloso e esquecido. E as crianças, ignoradas.

No entanto, nestes casos, a melhor maneira de expor a igreja católica seria levando os casos a público, ou seja, expor crianças e jovens, já machucados, abusados e envergonhados.

No entanto, não é fácil esperar que queiram recorrer a esse recurso.

Famílias pobres que carregarão o peso de um abuso sexual causado por um padre, àquele que deveria representar algo muito maior, e em alguns casos, com mais de uma criança dentro da mesma família.

E permitir que isso continue acontecendo, por baixo dos panos, certamente é medonho.

No entanto, a atuação desse filme é absurdamente maravilhosa.

Sabe quando o elenco inteiro se encaixa perfeitamente? Surpreendentemente, temos isso em Spotlight, talvez por se tratar de uma história tão séria, os atores se entregam 200% e se conectam muito bem.

Você chora, se angustia, se abala, você sente a pressão e a aflição durante todo o processo de investigação. Sobretudo nos questionamos como podem não se importar com o impacto e o trauma causados a longo prazo em inúmeras crianças e jovens. Principalmente como abuso sexual se torna um mercado, afinal.

“Para uma criança de família pobre, a religião conta muito. Não é só abuso físico, é abuso espiritual também. Quando um padre faz isso com você, ele rouba-lhe a fé.” Phil Saviano

Entrevista com Matt Caroll, jornalista do Spotlight: e a importância do jornalismo
Entrevista com Matt Caroll, um dos jornalistas da equipe Spotlight, feita pela Folha de São Paulo.

Contudo, o filme deixa explícito, isso não é deixar a fé e a crença naquilo que você acredita, é lembrar que homens são falhos, e o sistema erra.

“Quando se trata de abuso eles não descriminam. E não tem nada a ver com ser gay. São padres usando a batina pra estuprar crianças.” Phil Saviano

O Livro:

A crise que abalou a igreja, segredos revelados:

Tudo isso você encontra na capa do livro, e de fato é isso, a narrativa é bem mais detalhada.

Acompanhamos de perto detalhes do processo de investigação, detalhes que não estão no filme, mas não por serem menos importantes, são apenas minuciosos demais.

E assistindo esse filme ou fazendo essa leitura que você entende a importância de jornais locais, e como eles dão relevância a casos que ficariam esquecidos pela imprensa.

Se já leu ou assistiu o filme, comenta aqui ou nas redes sociais.

Mas, se ainda não, corre, e inclui na sua lista de filmes e livros.

Bem como, se você se interessou pelo livro, tem link direto pra Amazon, clique aqui.

Um comentário

  • Liv

    Eu gostei muito desse filme, achei interessante pois eu nunca tinha entendido muito o papel do jornalista em “montar uma história” sabe? Achava que era papel deles noticiarem coisas e meio que só. Mas essa investigação foi realmente bastante intensa. Achei que as atuações estavam impecáveis, não tinha uma pessoa que não estava bem. Mas olha, não é um filme que pretendo ver de novo. Pesado mesmo.
    Adorei a resenha!
    Abraço,
    Liv | Resenhas Caóticas | A Odisseia | Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *